Notícias

10 Causas da Morte Lenta da TV por Assinatura

10 causas da morte lenta da tv por assinatura

10 Causas da Morte Lenta da TV por Assinatura.

A estratégia furada das Teles em 2016

No primeiro semestre de 2016 as operadoras bem que tentaram limitar o consumo de dados (colocar franquia) na quantidade de dados da internet fixa. Mais precisamente a Vivo foi quem “levantou essa bandeira”.

As operadoras cujo negócio são bilhões, não dão ponto sem nó, pois justamente com base na Matriz de Porter queriam barrar o movimento de entrantes e eliminar substitutos no serviço de TV por assinatura no Brasil.

Essa medida era uma violação grotesca aos direitos do consumidor e graças ao Ministério Publico do Distrito Federal, as operadoras foram obrigadas a dar explicações sobre tal intento.

Após quase dois anos em que as Operadoras tentaram limitar o uso da internet banda larga fixa, elas quase nada fizeram para inovar ou prover soluções interessantes ao consumidor.

O posicionamento da Anatel

A princípio a Anatel nada fez! E ainda apoiou as operadoras dizendo que tal ação não violava as regras.

Depois de 10 dias, após intensa insatisfação dos consumidores nas redes sociais, ela proibiu as operadoras de realizarem a limitação de dados, por prazo indeterminado.

No primeiro semestre de 2017 a Anatel voltou a se pronunciar afirmando que não pretendia abrir novamente o debate sobre o limite na banda larga fixa.

O posicionamento do Senado

Em 15/03/2017, o Senado aprovou um projeto que alterava o Marco Civil da Internet e proibia as operadoras de internet de estabelecer franquias de dados nos serviços de banda larga fixa. O texto seguiu para análise da Câmara dos Deputados.

10 causas da morte lenta da TV por Assinatura no Brasil

Os serviços de Streaming de Vídeo são tão poderosos que em 2013 eles causaram falência global da Blockbuster com quase 30 anos no mercado.

1ª Provedores via  Streaming de Vídeo – Netflix, Amazon Video, Disney, Hulu etc

Poderosas empresas provedoras de séries e filmes vem colaborando para a morte lenta e irreversível da TV paga no Brasil, por meio de conteúdo de qualidade, plataforma estável, mobilidade, alta disponibilidade e preço acessível.

A Netflix, por exemplo, tem mais de 190 países com acesso a sua plataforma e algo em torno de 100 de milhões de assinantes.

A Amazon Prime Vídeo, outra gigante no segmento, apresenta uma plataforma estável, cujo preço é ainda mais interessante que a Netflix.

Pra acabar de fechar a tampa do caixão, a Disney anunciou que em 2019 vai lançar seu próprio serviço de streaming.  Ela virá com muita força, pois é dona da Marvel, Lucasfilm (Star Wars) e da Pixar.

2ª Apreço por Séries

Estas empresas sabem que as séries viraram febre no mundo inteiro. O consumidor está viciado nisso!

As Operadoras bem que tentam agregar serviço através do pacote HBO com seriados na sua programação. Mas é bem caro e inviável para o consumidor assinar Combos  (TV + Internet + Telefone) só pra assistir as séries.

3ª Oligopólio das operadoras

As operadoras se valem do oligopólio, pelo menos por enquanto, pois sabem que o assinante de TV por assinatura não terá outras opções na operadora concorrente.

Diferenciação estratégica – Zero por parte das Teles! Um plano completão de TV paga gira em torno de R$ 300,00 fora do combo!

Este tipo de politica comercial das Teles fazem o assinante “pular fora”.

4ª Erro na fatura

Não é novidade pra ninguém que as operadoras erram na cobrança de forma endêmica.

Não são poucos os casos de icorrerem cobranças diferentes do que foi contratado.

5ª Mau atendimento

O elo mais fraco da corrente é que os tele-atendentes das operadoras (na maioria terceiros) tem que segurar a bronca de consumidores insatisfeitos.

Quem nunca teve problema com atendimento?

6ª Venda casada

Tente contratar somente um plano de TV por assinatura fora do combo pra você ver o preço!

A oferta é montada pra viabilizar/obrigar a contratação do telefone fixo (que quase ninguém usa) com a internet.

Pra acabar de amarrar o consumidor, as operadoras ainda colocam planos de celular nas ofertas como vantagem para o consumidor. Que coisa brejeira!!

7ª Equipamento / Antena

Se vai contratar a TV por assinatura  já tem que pensar onde vai afixar sua antena externa (TDH). Nem todo condomínio tem espaço mais no Shaft pra descer o cabo até seu apartamento.  O custo dessa antena ou modem já está incluído no preço da mensalidade.  Mobilidade zero.

8ª Taxa de instalação / Adesão

Como tudo quem paga é o consumidor, a oferta já trás no contrato o preço da instalação e adesão ao plano, de forma inegociável.

Há algumas promoções em que as operadoras isentam o consumidor da taxa de instalação e adesão, mas isso é raro.

Como não é negócio da operadora realizar a instalação, ela usa Terceiros e repassa mais um custo para o consumidor.

9ª Contrato de 24 meses e multa rescisória

Além da falta de clareza e transparência nos contratos, o consumidor fica preso a um contrato punitivo com multa rescisória absurda.

10ª Mudança de endereço

Como o consumidor fica preso ao contrato por 24 meses, se precisar mudar de residência tem que “levar” sua TV por assinatura no caminhão de mudança.

O valor médio cobrado na fatura para mudança de endereço fica em torno de R$ 100.00, com um detalhe: Normalmente o consumidor é quem transporta todo o equipamento para a futura residência.

Liberdade e Mobilidade

Estar preso a um contrato, a uma grade programação, equipamento/antenas e demais taxas, realmente não é interessante para ninguém.

As operadoras até que tentam inovar colocando filmes a la carte em seu serviço a um custo de até R$ 9,90 por filme (sic). 

Já os serviços de Streaming de vídeo oferecem conteúdo ilimitado!

O que resta para as Operadoras

As operadoras são as provedoras de internet banda larga por concessão do governo brasileiro. Sem elas, nada de Streaming de vídeo existiria.

Dependemos delas e torcemos para que o serviço seja cada vez melhor!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *